Metacam (meloxicam) - QM01AC06

Conteúdo do Artigo

Metacam

meloxicam

Este é um resumo do Relatório Público Europeu de Avaliação (EPAR) relativo ao Metacam. O seu objetivo é explicar o modo como a Agência avaliou este medicamento veterinário a fim de recomendar a sua autorização na União Europeia (UE), bem como as suas condições de utilização. Não tem por finalidade fornecer conselhos práticos sobre a utilização do Metacam.

Para obter informações práticas sobre a utilização do Metacam, os donos ou cuidadores de animais devem ler o Folheto Informativo ou contactar o seu veterinário ou farmacêutico.

O que é o Metacam e para que é utilizado?

O Metacam é um medicamento veterinário que contém a substância ativa meloxicam.

Em bovinos, o Metacam é utilizado, em combinação com terapia antibiótica adequada, para a redução dos sinais clínicos da infeção respiratória aguda (infeções dos pulmões e das vias respiratórias). Pode ser utilizado para o tratamento da diarreia, em combinação com terapia de reidratação por via oral (medicamentos administrados por via oral para repor os níveis de água no organismo), para a redução dos sinais clínicos da doença em vitelos com idade superior a uma semana e bovinos jovens não lactantes. Pode ser utilizado em vitelos para o alívio da dor pós-operatória após a descorna e como terapia auxiliar no tratamento da mastite aguda (inflamação do úbere), em combinação com terapia antibiótica.

Em suínos, o Metacam é usado no tratamento de doenças não infeciosas do aparelho locomotor (doenças que afetam a capacidade de movimento), para reduzir os sintomas de claudicação e inflamação, para o alívio da dor pós-operatória associada a pequena cirurgia dos tecidos moles, tais como castração, e como terapia auxiliar, em combinação com terapia antibiótica adequada, no tratamento de doenças pós-parto, tais como septicemia puerperal e toxemia (síndroma de mastite-metrite-agalactia, uma infeção bacteriana do úbere e/ou do útero).

Em equinos, o Metacam é utilizado para o alívio da dor associada a cólica (dor abdominal) e para o alívio da inflamação e dor associadas a doenças musculosqueléticas, tanto agudas como crónicas (doenças que afetam os músculos e os ossos).

Em cães, o Metacam é utilizado para reduzir a dor e inflamação pós-operatórias após cirurgias ortopédicas (por exemplo, cirurgias de reparação de fraturas) e dos tecidos moles. O Metacam é também utilizado em cães para o alívio da dor e inflamação nas doenças musculosqueléticas, tanto agudas como crónicas.

Em gatos, o Metacam é utilizado para a redução da dor e inflamação pós-operatórias após ovariohisterectomia (remoção dos ovários), cirurgias ortopédicas e pequenas cirurgias dos tecidos moles. O Metacam é também utilizado para o alívio da dor e inflamação nas doenças musculosqueléticas, tanto agudas como crónicas.

Como se utiliza o Metacam?

O Metacam está disponível na forma de suspensão oral, solução injetável e comprimidos para mastigar. A formulação e a dose a usar dependem da espécie a que se destina, do peso corporal do animal e da doença a tratar. As injeções são administradas por via intravenosa, intramuscular ou subcutânea, dependendo das espécies e da doença a tratar.

O Metacam só pode ser obtido mediante receita médica. Para mais informações, consulte o Folheto Informativo.

Como funciona o Metacam?

O Metacam contém meloxicam, que pertence a uma classe de medicamentos chamada fármacos anti- inflamatórios não esteroides (AINE). O mecanismo de ação do meloxicam consiste em bloquear uma enzima denominada ciclo-oxigenase, que está envolvida na produção de prostaglandinas. O Meloxicam reduz os sintomas de doença desencadeados pelas prostaglandinas, nomeadamente inflamação, dor, exsudação (fluido libertado através dos vasos sanguíneos durante uma inflamação) e febre.

Quais os benefícios demonstrados pelo Metacam durante os estudos?

Bovinos

A eficácia do Metacam solução injetável em combinação com terapia antibiótica foi estudada em bovinos com infeção respiratória aguda. 326 bovinos receberam Metacam solução injetável e terapia antibiótica, e 326 bovinos receberam uma injeção simulada e terapia antibiótica. O Metacam solução injetável melhorou significativamente os sinais clínicos de infeção respiratória e reduziu a febre, em comparação com os antibióticos isoladamente.

Um outro estudo em bovinos incluiu 501 vitelos com diarreia. Os animais receberam uma injeção de Metacam ou uma injeção simulada. Todos os vitelos receberam terapia de reidratação oral e antibióticos. O principal parâmetro de eficácia foram os sinais clínicos de diarreia e o comportamento dos animais, a ingestão de alimentos, a temperatura corporal, a frequência respiratória, a frequência cardíaca e o estado geral. Os vitelos tratados com o Metacam apresentaram uma melhoria significativa nos sinais da diarreia em comparação com o grupo de controlo.

O Metacam solução injetável foi estudado em 60 vitelos, com um grupo a receber o Metacam e anestesia local e um grupo a receber uma injeção placebo (simulada) e anestesia local antes da descorna. O

principal parâmetro de eficácia foi a redução da sensibilidade à dor, tendo o estudo mostrado que o Metacam permitiu uma diminuição da dor associada à retirada dos cornos.

O Metacam solução injetável em combinação com a terapia antibiótica foi analisado num estudo que incluiu 240 bovinos com mastite aguda. Além da terapia antibiótica, os animais receberam uma injeção única de Metacam ou de flunixida (outro AINE) durante um máximo de 5 dias. O principal parâmetro de eficácia baseou-se no estado o geral, na aparência do leite e nos sinais de inflamação. A eficácia do Metacam foi comparável à do medicamento de controlo em termos de tratamento de suporte da mastite aguda em bovinos.

Suínos

A eficácia do Metacam solução injetável foi estudada em suínos com doenças locomotoras não infeciosas. Os animais receberam Metacam ou uma injeção placebo. O principal parâmetro de eficácia baseou-se nos sinais de claudicação. O Metacam reduziu significativamente a claudicação, com 49 % dos suínos tratados com o Metacam a não apresentarem claudicação, em comparação com 27 % dos suínos que receberam o tratamento placebo.

Foi realizado um estudo em leitões para comparar os efeitos do Metacam solução injetável com os do placebo administrados antes da castração. O principal parâmetro de eficácia foi o nível de cortisol no sangue 30 minutos após a cirurgia. O nível de cortisol permite medir o stresse. Os leitões tratados com o Metacam apresentaram níveis significativamente reduzidos de cortisol no sangue 30 minutos após a castração em comparação com o grupo de controlo.

Um estudo em porcas com septicemia puerperal e toxomia comparou o Metacam com flunixina. Todas as porcas receberam também antibióticos. O Metacam foi comparável à flunixina no tratamento dos sinais de infeção e inflamação associados à septicemia puerperal e à toxemia.

Equinos

O Metacam foi comparado com vedaprofeno (outro AINE) no alívio da dor associada à cólica equina em 296 cavalos. O principal parâmetro de eficácia baseou-se nos sinais de cólica. A eficácia do Metacam solução injetável foi comparável à do vedaprofeno na redução da dor associada à cólica equina.

O Metacam suspensão oral foi estudado no tratamento de doenças musculosqueléticas associadas a claudicação em dois estudos e comparado ao tratamento com vedaprofeno. O principal parâmetro de eficácia foi a redução da claudicação. Os equinos tratados com Metacam suspensão oral registaram uma melhoria superior dos sinais de claudicação no dia 14 e no exame final de acompanhamento 2 a 4 dias mais tarde comparativamente aos animais tratados com o vedaprofeno, enquanto o segundo estudo demonstrou que a eficácia do Metacam foi comparável à do vedaprofeno.

Cães

Foi realizada uma série de estudos em cães com doenças locomotoras agudas e crónicas com o Metacam suspensão oral e Metacam solução injetável. Os estudos em doenças locomotoras crónicas demonstraram a eficácia do Metacam.

Num estudo, foram comparados três regimes diferentes de tratamento com meloxicam para doenças locomotoras agudas. O principal parâmetro de eficácia baseou-se na melhoria da mobilidade, inflamação local e dor. Este estudo demonstrou que os cães que receberam a injeção de meloxicam seguida de doses orais obtiveram a pontuação máxima de excelente/bom.

Gatos

O Metacam solução injetável foi estudado em 76 gatas submetidas a ovariohisterectomia, tendo 7 recebido o Metacam e 39 recebido carprofeno (outro AINE) por injeção subcutânea (sob a pele)

imediatamente após a indução de anestesia. O principal parâmetro de eficácia foi a avaliação da pontuação para a dor em diversos momentos até 20 horas após a cirurgia. A eficácia do Metacam

5 mg/ml solução injetável foi comparável à do carprofeno na redução da dor pós-operatória em gatas submetidas a ovarioshisterectomia.

Foi realizado um estudo em gatos com doenças musculosqueléticas agudas. Neste estudo, o Metacam suspensão oral administrado durante 5 dias foi comparado com cetoprofeno (outro AINE). O principal parâmetro de eficácia baseou-se na melhoria da claudicação e da dor. O Metacam suspensão oral foi também comparável ao cetoprofeno no tratamento de doenças musculosqueléticas agudas em gatos.

Foi realizado um estudo em gatos com doenças musculosqueléticas agudas, em que 46 gatos receberam o Metacam suspensão oral durante 28 dias, e 48 gatos receberam uma suspensão oral placebo. O principal parâmetro de eficácia foi a melhoria da mobilidade e da postura e redução da dor. O Metacam foi eficaz a partir do dia 0-14 comparativamente ao grupo de controlo.

Quais são os riscos associados ao Metacam?

Em bovinos e suínos, o Metacam foi bem tolerado; observou-se apenas um ligeiro inchaço transitório no local da injeção após a administração subcutânea na maioria dos bovinos tratados em condições de laboratório.

Em equinos, podem ocorrer reações anafiláticas (alérgicas), que devem ser tratadas de acordo com os sinais apresentados. Pode ocorrer um inchaço transitório no local da injeção, o qual desaparece sem intervenção. Podem também ocorrer urticária (erupção cutânea com comichão) e diarreia ligeiras, dois efeitos secundários típicos dos AINE, que desaparecem espontaneamente. Em casos muito raros, foi comunicada perda de apetite, letargia, dor abdominal e colite (inflamação da parte inferior do intestino).

Em bovinos, suínos e equinos, podem ocorrer, em casos muito raros, reações anafiláticas (alérgicas), que podem ser graves (ou mesmo fatais) e que devem ser tratadas sintomaticamente.

Em cães e gatos, os efeitos secundários ocasionais do Metacam são os observados com os AINE, tais como perda de apetite, vómitos, diarreia, sangue oculto nas fezes, apatia (falta de vitalidade) e insuficiência renal. Em casos muito raros, foram comunicadas reações anafiláticas e um aumento dos níveis de enzimas no fígado. Estes efeitos secundários desaparecem logo que termina o tratamento. Em casos muito raros, podem ser graves ou fatais.

Em cães, foram comunicados casos muito raros de diarreia hemorrágica (diarreia com sangue), hematémese (vomitar sangue) ou ulceração gastrointestinal (úlceras no intestino). Estes efeitos secundários ocorrem geralmente na primeira semana de tratamento e são, na maioria dos casos, transitórios.

Quais as precauções a tomar pela pessoa que administra o medicamento ou entra em contacto com o animal?

As pessoas hipersensíveis (alérgicas) aos AINE devem evitar o contacto com o Metacam. Se o medicamento for engolido/autoinjetado acidentalmente por uma pessoa, esta deve dirigir-se imediatamente a um médico.

A solução injetável 40 mg/ml não deve ser administrada a animais por mulheres grávidas ou a tentar engravidar, dado que pode afetar o desenvolvimento do feto.

Qual é o intervalo de segurança em animais destinados à produção de alimentos?

O intervalo de segurança é o período de tempo que deve ser respeitado, após a administração do medicamento, antes de um animal ser abatido e a sua carne utilizada para consumo humano. É também o período de tempo que deve ser respeitado entre a administração do medicamento e a utilização para consumo humano do leite derivado desse animal.

Bovinos

O intervalo de segurança é de 15 dias para a carne e de 5 dias para o leite.

Suínos

O intervalo de segurança é de 5 dias para carne.

Equinos

O intervalo de segurança é de 5 dias após a administração da solução injetável 20 mg/ml e 40 mg/ml, e de 3 dias após a administração da suspensão oral 15 mg/ml, para a carne. Não é autorizado o uso do medicamento em éguas que produzam leite destinado ao consumo humano.

Por que foi aprovado o Metacam?

O Comité dos Medicamentos para Uso Veterinário (CVMP) da Agência concluiu que os benefícios do Metacam são superiores aos seus riscos e recomendou a sua aprovação para utilização na UE.

Outras informações sobre o Metacam

Em 7 de janeiro de 1998, a Comissão Europeia concedeu uma Autorização de Introdução no Mercado, válida para toda a União Europeia, para o medicamento Metacam.

O EPAR completo relativo ao Metacam pode ser consultado no sítio Internet da Agência em: ema.europa.eu/Find medicine/Veterinary medicines/European public assessment reports. Para obter mais informações sobre o tratamento com o Metacam, os donos ou cuidadores dos animais devem ler o Folheto Informativo ou contactar o seu veterinário ou farmacêutico.

Este resumo foi atualizado pela última vez em junho de 2016.

Comentários